Paço dos Cunhas de Santar

Partilha a tua sensação
Cada vez mais sinto que comer é mais do que alimentar o corpo. Sinto que a comida deve ser temperada com com algo que alimente a alma. É sem dúvida, um luxo, tenho noção disso. mas quando cá em casa quando desejamos assinalar uma data especial com um almoço ou jantar ainda mais especial procuramos o tal aditivo espiritual. No caso do Paços de Cunha de Santar foi sem dúvida a envolvência que nos chamou a atenção.




Chegámos cedo para esticar as pernas, sentir a vida a fluir nos beijos apaixonados e banhar o corpo nos raios de sol de uma Primavera a despontar. Pensámos: porque não tivemos este sol no dia de casamento, há um ano atrás? Sorrimos, porque na realidade a meteorologia é apenas um actor secundarissimo nesta nossa história. Passeámos ao longo das vinhas, enquanto os melros se escondiam da inusitada presença humana. As árvores centenárias abrigaram também os nossos sorrisos e tontices à medida que nos enredávamos na sombra fresca dos jardins. Deambulámos durante uma hora, trocando palavras e abrindo o apetite para o menu principal. Embora por razões profissionais já conhecesse o espaço, faltava-me degustar a gastronomia e, confesso, a curiosidade era muita.





Sentámo-nos ao pé de uma das poucas janelas da sala granítica, acariciada pela madeira robusta e quente. Não levámos nada em mente, e fomo-nos deixando levar pela ementa. A escolha recaiu num Creme de Perdiz de Castanha, um Risotto de Alecrim e Vazia Grelhada. A terminar com (para ele) um Creme Queimado de Citrinos com Esferificação de Maracujá e Crumble de Cereais, e com (para mim) um Brownie de Chocolate com Creme de Mirtilos, Esferificação de Mirtilos e um Chantily de Coco. Tudo envolvido num espumante da Quinta do Encontro.




Antes de as nossas escolhas subirem ao palco gastronómico, que é como quem diz à mesa, o chef teve a amabilidade de iniciar o almoço com um Pastel de Massa Tenra de Caça, em Cama de Grelos Salteados e Micro-vegetais. Uma das melhores entradas que já provei. .Provámos tudo com gosto. Sentimo-nos convencidos, com as energias recarregadas para voltar para junto da família e comemorar um ano dentro de tantos outros harmoniosos, felizes, de companheirismo já vividos. Para além do sossego em torno do restaurante, que a meu ver é um dos pontos fortes deste espaço, fiquei desejosa de tentar em casa confeccionar/recriar o Pastel de Massa Tenra e o Creme Queimado de Citrinos. Se não conhecem, acreditem vale a pena dar uma saltada até Santar.




Próximo publicaçãoMensagem mais recente Publicação anteriorMensagem antiga Página inicial

0 A partilhar sensações: